Publicado por: Rafael Guedes | 27 outubro 2008

Instalação e Configuração do Virtual Box no Kubuntu 8.04 “Hardy Heron”

Bom este será meu primeiro artigo para o blog e estarei começando com o tema de uma prática que está crescendo cada vez mais no mercado e nos laboratórios de TI, a Virtualização. A virtualização, a grosso modo, nada mais é do que emular um hardware para que um software rode sobre ele. Desse modo, se você é um usuário de Linux por exemplo, mas precisa de um Photoshop aqui ou de um plugin ali… você poderá utilizar o Windows rodando sobre o seu Linux sem precisar instalá-los em dual boot. Quanto à utilidade deste tipo de aplicação, ela vai de acordo com a necessidade do usuário ou até onde sua criatividade permitir. Particularmente, já vi a utilização em Call Center, Desenvolvimento, Análise de Sistemas e Redes.

Depois desta breve introdução, vamos ao que interessa! O software escolhido para colocarmos a virtualização em prática foi o Virtual Box. Este ótimo programa, além de ser bastante estável e ter uma interface gráfica bem amigável, é FREE, ao contrário do “todo poderoso VM Ware Workstation” (vai uma dica no final do artigo). Dentre os prós do Virtual Box estão:

  • Suporte à interface USB do hospedeiro sem que o módulo esteja presente (no hospedeiro) e uso de filtros;
  • Modos de rede: NAT, host-only e bridge. Com suporte a até 4 interfaces de rede;
  • Suporte à porta serial;
  • Pode estar como um servidor VRDP, com suporte a USB sobre RDP;
  • Suporte à máquinas virtuais criadas no VMware;
  • Shared Folder do hospedeiro para com o sistema convidado.
  • ALGUMAS DESTAS FUNCIONALIDADES NÃO ESTÃO PRESENTES NA VERSÃO OSE – OPEN SOURCE EDITION – DESTE SOFTWARE.

Você pode fazer o Download em http://www.virtualbox.org/wiki/Downloads. Lá você escolherá o instalador de acordo com seu sistema operacional hospedeiro e a arquitetura de seu processador. Ou ainda, se preferir, pode-se verificar a versão OSE (Open Source Edition) do VirtualBox. No artigo irei descrever a instalação do Virtual Box 2.0.4 tendo como hospedeiro o Kubuntu Hardy Heron e como convidado o Microsoft Windows XP com o Service Pack 2. LEMBRANDO QUE ESTA VERSÃO DO VIRTUAL BOX JÁ DÁ SUPORTE AO UBUNTU 8.10 (INTREPID IBEX).

O instalador neste caso já vem empacotado em .deb. Logo, para realizar a instalação é simples, apenas navegue até o diretório onde fez o download do arquivo e execute:

guedes@tux:~$  sudo dpkg -i virtualbox-2.0_2.0.4-38406_Ubuntu_hardy_i386.deb

A instalação propriamente dita é muito simples, mas a princípio há que se fazer alguns ajustes para que possamos desfrutar de todas as funcionalidades do VirtualBox no Kubuntu. Irei descrever aqui alterações para que funcionem:

  • USB
  • Teclado ABNT2
  • Rede “bridgeada”
  • Shared Folders

INSTALAÇÃO DO WINDOWS:

Em primeiro lugar deveremos dar permissão de execução no “kernel” do VBox. Para tal, execute:

guedes@tux:~$ sudo chmod 777 /dev/vboxdrv

Geralmente eu sempre incluo o grupo vboxusers aos meus Grupos Secundários, para tal navegue até o painel de Configuração do Sistema, lá entre no Gerenciamento de Usuários e proceda como abaixo:

Após isto reinicie sua sessão. Estamos agora prontos para instalação do Windows. Vamos então criar nossa VM (Virtual Machine). Abra o Virtualbox e clique em NOVO. Um assitente irá se abrir para que possamos criar a máquina, clique em avançar.

Nome da VM e Tipo de Sistema – neste ponto deve se dar um nome à VM e selecionar o Sistema Operacional, em nosso caso o Windows XP.
Memória – este passo é importante, não exagere na quantidade de memória que disponibilizará ao seu sistema. Procure sempre configurar com menos de um quarto da memória RAM real. Eu, por exemplo, tenho 2GB de RAM e minha VM está com 256MB.
Disco Rígido Virtual – precisamos criar um novo disco virtual, clique em novo e um assistente se abrirá. Clique em próximo.

  • Tipo de Imagem de Disco Virtual – Aqui escolheremos o nome e o tipo da imagem. Temos a opção de Imagem dinamicamente expansível e Imagem de Tamanho Fixo. Se escolher uma imagem de tamanho fixo o Virtualbox alocará este espaço já no próximo passo, onde você escolherá o tamanho da imagem, e esta não poderá ter seu tamanho modificado posteriormente. Já se escolher uma imagem dinâmica, a melhor opção para a maioria dos casos, você escolherá o tamanho máximo que a imagem pode chegar no próximo passo e o Virtualbox alocará este espaço ao passo que ele for sendo utilizado. Clique em próximo e finalizar.

Sua máquina já será listada na tela do Virtualbox. Entre nas configurações dela e habilite o que você for usar, monte seu CD-ROM, altere a ordem de boot se necessário, etc. E instale o Windows como numa máquina real.
Obs.: ao entrar nas configurações você irá se deparar com um erro, ignore-o. Diz respeito ao USB, mas iremos resolver isto mais tarde.

Vamos aos problemas:

Alguns dos problemas já são solucionados assim que instalamos os adicionais para convidado. Para instalá-los, com a máquina virtual em execução, na janela do próprio VBox clique em DispositivosInstalar adicionais para convidado.
Dica: se a mídia de instalação do Windows ainda estiver montada na VM, nada irá acontecer quando você clicar em Instalar adicionais para convidado, pois quando você faz isso o VBox simplesmente monta uma imagem ISO na VM que contém os adicionais. Logo, desmonte selecionando DispositivosDesmontar CD/DVD-ROM e deve funcionar.

USB:

Vamos agora às configurações necessárias para que possamos utilizar o USB. O próximo passo é editar o arquivo /etc/udev/rules.d/40-permissions.rules. Dentro do arquivo procure por:

# USB serial converters
SUBSYSTEM==”usb_device”, GOTO=”usb_serial_start”
SUBSYSTEM==”usb”, ENV{DEVTYPE}==”usb_device”, GOTO=”usb_serial_start”
GOTO=”usb_serial_end”
LABEL=”usb_serial_start”
ATTRS{idVendor}==”0403″, ATTRS{idProduct}==”6001″, \
MODE=”0660″, GROUP=”dialout”
LABEL=”usb_serial_end”

Altere para:

# USB serial converters
SUBSYSTEM==”usb_device”, GROUP=”usbusers”, MODE=”0664″, \
GOTO=”usb_serial_start”

SUBSYSTEM==”usb”, ENV{DEVTYPE}==”usb_device”, GOTO=”usb_serial_start”
GOTO=”usb_serial_end”
LABEL=”usb_serial_start”
ATTRS{idVendor}==”0403″, ATTRS{idProduct}==”6001″, \
MODE=”0660″, GROUP=”dialout”
LABEL=”usb_serial_end”

Feito isso precisamos alterar também o arquivo /etc/init.d/mountdevsubfs.sh. Por volta da linha 40 você verá:

# Magic to make /proc/bus/usb work

Descomente as linhas abaixo, ficando:

39         #
40         # Magic to make /proc/bus/usb work
41         #
42         mkdir -p /dev/bus/usb/.usbfs
43         domount usbfs “” /dev/bus/usb/.usbfs -obusmode=0700,devmode=0600        ,listmode=0644
44         ln -s .usbfs/devices /dev/bus/usb/devices
45         mount –rbind /dev/bus/usb /proc/bus/usb

Após a alteração destes dois arquivos reinicie o computador. Aquela tela que você via antes ao entrar na configurações de sua máquina virtual passará a não mais existir.

TECLADO ABNT2:

Este BUG parece já estar resolvido nesta versão do Virtual Box. Porém, caso a acentuação de seu teclado ABNT2 não funcione, vai a dica. Na janela inicial do Virtual Box vá em ArquivoPreferências – Entrada. Desmarque o checkbox Capturar teclado automaticamente.

Teclado ABNT2 no Virtual Box

REDE “BRIDGEADA”:

Para que a rede funcione em modo bridge, ou seja, para que a VM esteja na mesma rede lógica das suas máquinas reais, deveremos fazer alguns ajustes. Instalar os utilitários de bridge, criar uma bridge, criar uma interface no VBox e fazer com que estas sejam carregadas automaticamente.

Instalando o pacote necessário:

guedes@tux:~$  sudo apt-get install bridge-utils

Criando a bridge e fazendo com que ela seja carregada a cada boot:

Adcione as linhas abaixo ao arquivo /etc/network/interfaces:

auto br0
iface br0 inet dhcp
bridge_ports eth0

Resumindo criamos uma bridge de nome br0 que fará a ponte para com a interface eth0.

Reiniciando a rede do hospedeiro para que as alterações tenham efeito:

guedes@tux:~$ sudo /etc/init.d/networking restart

Criando uma interface no VBox:

guedes@tux:~$ sudo VBoxAddIF vbox0 <usuario> br0

Configurando a interface no Virtualbox:

Altere a opção Conectado a: Interface do Hospedeiro

E em Nome da Placa de Rede defina a interface que acabamos criar: vbox0

SHARED FOLDERS:


Responses

  1. Valeu o tutorial, esta bom, bom, bom, bom não tá mas esta bom.
    Funfou tudo, valeu.

    Abs

  2. Olá,

    tudo bem?

    Gostaria de te fazer um convite para escrita de artigos. Se tiver interesse basta entrar em contato.

    Abraço,
    Eduardo


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: