Publicado por: Rafael Guedes | 28 dezembro 2010

VMware Site Recovery Manager: novidades a vista!

Futuras versões do VMware Site Recovery Manager, agora em desenvolvimento, irão incluir replicação baseada em host, failover automatizado, recursos de migração planejada e muito mais.

Alguns destes detalhes foram abordados no VMware World 2010.

O VMware Site Recovery Manager automatiza o processo de Disaster Recovery para infraestruturas virtuais VMware. Junto ao vCenter Server, o VMware SRM permite ao pessoal de TI gerenciar as operações de DR, conduzir testes e automatizar o failover entre multiplos sites.

Futuras versões irão fazer ainda mais do que a já comprovada solução. Vamos dar uma olhada em algumas dessas novidades.

VMWARE-SRM


Hosted-based Replication no VMware SRM

Um recurso ansiosamente aguardado do VMware SRM é a replicação baseada em host. Esta capacidade irá permitir aos clientes replicarem VMs de uma localidade para outra sem a necessidade terceiros, replicação baseada em arrays de armazenamento. Isto deve interessar a clientes que executam o vSphere nas filiais, mas ainda precisam proteger suas VMs.

O mercado alvo será o setor SMB, onde os custosos armazenamentos baseados em storage e replicação baseada em arrays de armazenamento estão além da maioria dos orçamentos. Para grandes empresas que já possuem EMC MirrorView ou NetApp SnapMirror, este melhoramento provavelmente não irá mudar a forma com que eles usam o SRM.

Mas ainda assim, a replicação baseada em host poderá ser interessante para alguns clientes Enterprise, dependendo de suas necessidades. Mesmo em grandes empresas, é improvável que em todas as filiais o fornecedor de Storage será o mesmo, logo existiria este caso onde a replicação baseada em host poderia oferecer proteção entre Storage Arrays de diferentes marcas.

A VMware não tem dito publicamente como esta feature irá alterar a forma a qual o SRM é empacotado e vendido. A atual política de preço e licenciamento enquadram o VMware SRM no mercado Enterprise. Para a replicação baseada em host ganhar espaço no mercado SMB, a VMware terá de mudar os SKUs do SRM.

Como a replicação baseada em host irá trabalhar no VMware SRM

A replicação baseada em host no VMware SRM provavelmente será um protocolo neutro, o que seria altamente atrativo para clientes que estão migrando de um protocolo de armazenamento para outro.  Por exemplo, isto permitiria replicação entre armazenamentos FC e NFS, semelhante a forma que as VMs são movidas com o VMware Storage vMotion.

Isto é possível pois a replicação baseada em host irá interagir apenas com o datastore. Não importa se o armazenamento é DAS, NAS ou SAN. O Virtual Appliance por trás desta replicação não tem interface direta com os protocolos de armazenamento que o Host vê. Em vez disso, o appliance comunica-se com um agente no Host, que então retorna os dados ao appliance. Esta configuração pode ser muito atrativa no mercado SMB, onde o armazenamento DAS prevalece.

A replicação baseada em Host será ativada nas propriedades da VM, ao invés de ser no Storage Array.

O processo de replicação baseada em Host pode fornecer uma visão sobre o futuro da replicação baseada em Storage Array. A replicação baseada em host é totalmente VM aware, que significa que seu servidor conhece o layout lógico da VM. Esta configuração permite ao administrador escolher quais dos discos virtuais da VM ele quer replicar.

Prós e Contras

Configurar a replicação baseada em Host deverá ser relativamente simples. Os usuários escolheriam o destino para os discos virtuais e um RPO (Recovery Point Objective), e então forneceriam uma cópia inicial da VM para a primeira sincronização. Depois disso, a replicação deveria enviar apenas alterações nos deltas através da rede para o Site Recovery.

Como toda nova função deverão existir algumas limitações. Por exemplo, a replicação baseada em Host não deverá ser capaz de proteger alguns tipos de VM, como linked clones utilizadas pelo VMware View e VMs habilitadas para Fault Tolerance. E não há suporte para o novo processo de failback automático ou “reprotect”. Mas os usuários serão capazes de conduzir o processo de failback manualmente.

———————————————————————————-

Estes são trechos retirados da matéria de Mike Laverick no SearchVMware.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: